6 de maio de 2010

Ian Dury

O pub rock merece um espaço único, mas não dá pra falar de Ian Dury sem falar desse estilo que resgatou a raiz do rock’n’roll. Era início dos anos 1970 e o cenário era tomado pelo glam rock, rock psicodélico e, principalmente, pelo chato e horripilante rock progressivo.

Tipicamente inglês, o pub rock foi formado por músicos que não topavam com esse cenário hippie/psicodélico, e de saco cheio da complicação que estava se tornando o rock, esse punhado de roqueiros resolveu resgatar as raízes e trazer de volta o blues, o country, o rock’n’roll 1950.

A coisa toda era seca mesmo, simples nos arranjos, nas letras, em toda a estrutura. Esse estilo ganhou força, mas sempre no underground. Não tendo grandes espaços onde tocar, essas novas bandas resolveram se instalar onde viviam seus criadores e seguidores: nos pubs ingleses. Daí o termo pub rock. Muita cerveja, whisky caubói e rock’n’roll curto e grosso.

Desse cenário faziam parte entre outros: Eddie & The Hot Rods, Ace, Dr. Feelgood, The 101ers, Nick Lowe, Graham Parker, Dave Edmunds e The Stranglers (esse já influenciado pelo punk rock).

Ian Dury estava junto com toda essa rapaziada e começou sua carreira na banda Kilburn & The High Roads, uma das primeiras de pub rock. A banda conseguiu boa repercussão, gravou um álbum, mas lançado quando ela já estava terminando. Em 1975 Ian saiu em carreira solo e assinou contrato com a Stiff Records (reduto de outros artistas do pub rock).

Ian começou tarde, formou a banda quando já tinha 28 anos. Na infância, aos 7, teve poliomielite o que deixou suas pernas atrofiadas e parcialmente paralisadas. Ficou dois anos no hospital, estudou em escolas para deficientes físicos e depois entrou para a Royal College of Art. Se formou, chegou a dar aulas de pintura em diversas escolas, mas em 1970 resolveu montar a banda e levar as duas atividades em paralelo – inclusive tinha gente que achava que com o fim da banda Ian voltaria para as artes, já que não tinha pinta de rockstar. Ledo engano.


Seu 1º álbum ‘New Boots and Panties!’, já com The Blockheads, sucesso absoluto na Inglaterra, somou um milhão de álbuns vendidos pelo mundo. “Hit Me...” e “Sex, Drugs and Rock’n’Roll” foram os hits desse primeiro momento. A mistura que Ian Dury faz é diferente, inclusive na cena que ele faz parte. Ele conseguiu dar unidade a uma salada que tinha pub rock, punk rock, reggae, ska e disco music. Mas no início dos anos 1980 essa mistura inusitada e suas letras bem humoradas não chamavam mais a atenção da mídia e Ian Dury se afastou do mainstream. Foi se dedicar as artes cênicas. Fez participações em televisão e cinema – incluindo ‘O Cozinheiro, o Ladrão, Sua Mulher e o Amante’, e ‘Pirates’ de Roman Polanski. Compôs trilhas, jingles e um musical para teatro chamado ‘Apples’.

Só voltou a lançar um álbum novo em 1992, o ‘The Bus Driver’s Prayer and Others Stories’ (mas sem os Blockheads). Irregular. Também em 1992 The Blockheads juntou-se novamente.



Ian ajudava como podia no combate a pólio, era inclusive um dos representantes ingleses da UNICEF, além de ajudar em outras organizações e estar permanentemente envolvido com ações beneficentes.

Na Inglaterra era (e continua sendo) respeitadíssimo, ganhou diversos prêmios e homenagens, gravou com Paul Weller, Madness, Stranglers e é referência para toda a geração inglesa posterior a ele. Dizem que Ian não fez enorme sucesso fora da Inglaterra por conta de seu forte sotaque inglês. Não sei. Só sei que seu som é bom pacas.

Em 1998, pra sair com chave de ouro, lançou ‘Mr. Love Pants’, gravado com The Blockheads após dezessete anos separados. Maravilhoso como seus primeiros trabalhos. Um clássico. Também em 1998 foi diagnosticado um câncer de cólon, que acabou atingindo o fígado. Mesmo assim, Ian continuou seus trabalhos beneficentes e tocando com The Blockheads. Em 06 de fevereiro de 2000 entrou para o Hall of Fame da revista Q e foi ao Palladium de Londres receber as homenagens. Essa foi sua última aparição pública.


Em 27 de março de 2000, perto de completar 58 anos, Ian Dury morreu.

O vozeirão grave, algumas músicas quase faladas, riffs secos e o swing convivendo numa boa com o rock. Ian Dury é coisa fina.


Assista ao filme biográfico 'Sex, Drugs and Rock n Roll'.

Discografia completa de Ian Dury e outros ligados ao The Blockheads, além de textos você pode ler e baixar aqui.

Site oficial


Aqui alguns momentos ao vivo. O show de Estocolmo é perfeito!

Show de Estocolmo (dividido em 5 partes)

Nenhum comentário: